ÁREA DO ASSOCIADO

Faça seu login para ter acesso completo a sua conta.

Dúvidas: (92) 3651.7798 | 3308.9313 . contato@simeam.org

Notícias

SIMEAM REÚNE COM PRESIDENTE DA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO AM

Quarta-Feira, 22 de janeiro de 2020

Medidas do governo que prejudicam trabalhadores da saúde foi pauta principal.

Busca de apoio para a Carreira de Médico de Estado, também foi discutido.

O caos da saúde do Amazonas, além de medidas do Governo do Estado que afetam diretamente todos os trabalhadores do setor, foi o motivo da reunião entre o presidente do Sindicato dos Médicos (Simeam), Dr. Mario Vianna, e o presidente da Assembleia Legislativa (ALEAM), deputado Josué Neto, realizada na tarde desta terça-feira, 21/01. O encontro no gabinete do parlamentar, contou ainda, com a presença da secretária-geral do sindicato, Dra. Patrícia Sicchar, e do assessor jurídico, Fabrício Santos.

Preocupado com a situação caótica que a área da saúde vem passando, Mario Vianna apresentou um diagnóstico dos problemas que atingem diretamente trabalhadores e pacientes. “Percebemos que falta uma gestão técnica e isso reflete em problemas que poderiam ser evitados como a falta de insumos, superlotação e até mesmo, mortes”, compartilhou o presidente do Simeam.

Durante a reunião com o presidente da Assembleia Legislativa do Amazonas, Mario Vianna apontou a falta de planejamento como um dos problemas que leva o atual governo cometer uma série de erros. “Temos informações que no Francisca Mendes falta cateter para ablação. Na Fundação Cecon falta medicamento na onco pediatria. As unidades estão superlotadas diariamente e isso sobrecarrega os profissionais que já trabalham em condições precárias”, relatou.

Na avaliação do presidente do Simeam, enviar pacientes cardiopatas para outros estados não é a melhor solução. A medida pode comprometer a vida dos pacientes e ainda, corre o risco do Hospital Universitário Francisca Mendes perder a certificação que o habilita como única unidade da região norte a realizar cirurgias cardíacas. “Isso é muito sério. Temos uma unidade que é referência, que só precisa de investimentos para funcionar em alta capacidade. Mas o governo prefere enviar os pacientes para outras localidades, o que, sem dúvida, gera mais custos com passagens aéreas, ajuda de custo, hospedagem, além do pagamento aos hospitais privados pelos procedimentos realizados”, alertou o médico.

Mario Vianna pontuou ao deputado Josué Neto que a migração de pacientes do interior em busca de tratamento na capital, é um dos motivos para a superlotação nas unidades hospitalares de Manaus. Como uma alternativa para solucionar esse entrave, o presidente do Simeam pediu apoio para a regulamentação da Carreira de Médico do Estado do Amazonas (CMEAM), aprovada como Emenda Constitucional, em 2013, mas engavetada pelo executivo estadual, que alega falta de orçamento. “Acreditamos que é a medida mais viável para desafogar a capital e levar atendimento médico para a população das principais cidades do interior, por meio de especialidades médicas consideradas essenciais. Pelo projeto já aprovado, a implantação começaria pelas cidades polos até cobrir todo o estado”, explicou.

A conversar foi permeada por outros temas apontados pelo presidente do Simeam como causadores da situação caótica da saúde. “A falta de diálogo do governo com os técnicos da área, congelamento dos salários, aumento do desconto da Previdência e a mudança do calendário de pagamento dos salários, estão gerando grande insatisfação e prejudicando os trabalhadores”, listou.

Mario Vianna observou que “outro problema é o tratamento dado a todos os profissionais terceirizados que tem seus pagamentos atrasados, e que em alguns casos chaga a seis meses, e são apontados pela gestão como um problema para o estado, que tem interesse em diminuir a terceirização com a contratação temporária direta, renovável a cada 30 dias, tornando o trabalhador um ‘boia-fria’, dependente do capataz. Essa terceirização tende a se tornar uma quarteirização com a implantação de OSs em todas as unidades de saúde”.

O deputado Josué Neto recebeu todas as demandas com muita sensibilidade e motivado em ajudar no encaminhamento das reivindicações apresentadas. “Um dos compromissos dessa Casa é receber todas as categorias, sem distinção e dar o melhor encaminhamento para os problemas que são trazidos. Estamos acompanhando a situação da saúde do estado e lamentamos por tudo o que está acontecendo. Sem dúvidas no início das atividades do legislativo vamos ter muito o que conversar e tratar sobre cada assunto para encontrar, juntos, a melhor solução”, disse o presidente da ALEAM.

TEXTO: ALAN CHARLES CHAVES

 


Deixe seu comentário