ÁREA DO ASSOCIADO

Faça seu login para ter acesso completo a sua conta.

Dúvidas: (92) 3651.7798 | 3308.9313 . contato@simeam.org

Notícias

MÉDICO SOFRE ASSÉDIO MORAL NA MATERNIDADE ANA BRAGA AO REALIZAR VISITA SOCIAL

Quarta-Feira, 04 de setembro de 2019

O Sindicato dos Médicos do Amazonas (Simeam) foi acionado por um profissional médico, vítima de assédio moral e abuso de autoridade pela direção da Maternidade Ana Braga, Zona Leste de Manaus. De acordo com o médico Moisés Rosa Pereira, o caso ocorreu na tarde desta terça-feira, 03.

Fazendo uso de sua prerrogativa prevista no Código de Ética Médica, o médico Moisés Rosa Pereira foi a Maternidade Ana Braga para realizar visita social uma paciente que segue internada no local. Mesmo após se identificar, o profissional teve dificuldades na recepção. Seguindo para realizar a visita social no Centro Cirúrgico, o médico foi surpreendido por uma senhora que se identificou como sendo diretora da maternidade, acompanhada por seguranças, solicitando a retirada do profissional.

Fui coagido a me retirar da unidade, estando no exercício do direito que me é conferido. Sofri assédio moral e vou ajuizar uma ação de abuso de autoridade contra essa prática”, informou o médico Moisés Pereira.

O presidente do Simeam, Dr. Mario Vianna explica que é comum a presença de profissionais médicos em ambientes hospitalares na qualidade de parente, amigo ou médico de pacientes internados, fora dos horários pré-definidos. “O médico tem livre acesso, seja em unidade pública ou privada, desde que seja identificado, para visitar pacientes, quando solicitado pelo próprio paciente ou familiares”.

De acordo com o parecer nº 36/15, divulgado pelo Conselho Federal de Medicina, não existe nenhuma norma estatutária ou regimental que restrinja o livre acesso do médico às unidades de saúde, respeitando-se o disposto no Código de Ética Médica. O parecer afirma que o acesso do médico não pode trazer transtorno ao serviço que tem por finalidade o tratamento, nem preocupações que o discriminem apenas porque não está no exercício de uma função específica ligada ao local e aos pacientes internados, uma vez que ele é médico, sempre, no exercício de sua função e de seu múnus público.

É sabido que o médico terá, para com os colegas, respeito, consideração e solidariedade, e total respeito para com o ser humano; portanto, aos médicos não pode ser negado, em nenhuma hipótese, o ingresso nas unidades de saúde, independentemente do horário de visitas, mesmo que a visita seja dita de caráter social”, afirma o parecer.

Para o presidente do Simeam, não é admissível que fatos como esse aconteçam nas unidades de saúde. “A atitude da gestão da maternidade Ana Braga revela a falta de preparo e de respeito com os profissionais”, ponderou Mario Vianna, afirmando que a entidade vai acionar a Susam e a direção da Ana Braga, exigindo, no mínimo, uma retratação com o profissional e a paciente que ele foi visitar dentro das suas prerrogativas de profissional médico.

O presidente do Simeam lembra que outro caso semelhante aconteceu com o médico Jefferson Jezzini, no Hospital Delphina Aziz. “Recentemente o cardiologista e ex-presidente do Conselho Regional de Medicina, Jefferson Jezzini foi constrangido no Delphina Aziz. Na ocasião o Simeam foi acionado e o caso resolvido. Não podemos em hipótese alguma diante de gestões truculentas, ceder a abrir mão das nossas prerrogativas de médico, e para isso o Simeam, sempre estará ao lado dos médicos”, afirmou.

Texto: Alan Charles Chaves.


Deixe seu comentário