ÁREA DO ASSOCIADO

Faça seu login para ter acesso completo a sua conta.

Dúvidas: (92) 3651.7798 | 3308.9313 . contato@simeam.org

Notícias

REFERÊNCIA EM ALTO RISCO, MATERNIDADE BALBINA MESTRINHO PRECISA DE PLANO DE URGÊNCIA

Terça-Feira, 03 de setembro de 2019

Uma das maternidades mais antigas de Manaus, a Balbina Mestrinho, localizada no bairro Praça 14, Zona Sul, é referência em gestação de alto risco, sendo uma das mais procuradas tanto pelas gestantes da capital, quanto do interior. Durante fiscalização realizada na noite desta segunda-feira, 02, foi constatado que a unidade precisa de um plano de urgência. O presidente do Simeam, Dr. Mario Vianna, que estava saindo de plantão, foi convidado pelo deputado estadual Wilker Barreto (Podemos) para acompanhar a visita de inspeção na maternidade.

Com uma média de 500 partos ao mês, a Maternidade Balbina Mestrinho está enfrentando sérios gargalos que colocam em risco a vide dos usuários. Um bebê está há 31 dias na reanimação por falta de leito. No PPP (Pré-parto, Parto e Pós-parto) acontecem os partos naturais, há somente 10 leitos e gestantes aguardam em cadeiras para o trabalho de parto. No corredor, mães que deram à luz esperam longas horas e as vezes dias até liberar vaga em uma das enfermarias.

No segundo andar, as duas enfermarias contam com 30 leitos, cada uma. As parturientes de parto normal ocupam o local até 48h, e as que foram submetidas a cessaria, ficam até 72h. Há seis meses foi implantado o projeto Alta Oportuno, que tem como objetivo reduzir o tempo de internação das pacientes para 36h na unidade, desde que tenha feito pré-natal de qualidade, dentre outros requisitos.

A maternidade conta somente com um centro cirúrgico, enquanto duas salas estão bloqueadas. Diante da falta de estrutura, a direção procura vaga em outras unidades para fazer transferência. “A solução seria a instalação de novos leitos, UTI neonatal e de PPP. Diante da falta de cirurgião infantil, as crianças que nascem com problemas graves são transferidas para o ICAM, quando conseguem vaga, o que é raro, para procedimento cirúrgico, depois retornam para a unidade. Essa logística coloca em risco a vida do bebê. Toda semana tem interdição no centro cirúrgico”, pontuou Mario Vianna, destacando que se a unidade tivesse o cirurgião infantil de plantão, conforme projeto de sua autoria, que previa dois cirurgiões, sendo um com espertize na área gineco-obstetrícia e outro na área neonatal, minimizaria os transtornos para a mãe, o bebê e para os profissionais, que podem ser penalizados numa eventual fatalidade.

Uma preocupação que está deixando a direção da unidade em alerta é a reforma da Maternidade Moura Tapajós, localizada na Av. Brasil, Compensa. Com as obras, a demanda vai ser direcionada para a Balbina, provocando uma sobrecarga. Uma médica denunciou que os profissionais já estão trabalhando com uma alta demanda. “Recebemos muitos pacientes de fora. Uma operada de plano de saúde que oferece plano de pré-natal deixa aqui as pacientes com casos de complicações, sem contato prévio para saber se temos vagas”, relatou a médica.

O presidente do Simeam, na oportunidade da visita do deputado Wilker Barreto, levou o parlamentar para ter conhecimento da situação da Central de Esterilização de Material e do local onde é feito Raio X, outros problemas que comprometem a vida e o trabalho dos profissionais. “Também é crítica a manutenção de equipamentos das UTIs e centro cirúrgicos”, observou Mario Vianna.

O destaque positivo da visita foi a participação dos médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem que colaboraram com informações importantes. Destacamos a forma cortês e técnica que a diretora e toda sua assessoria nos recebeu. Na oportunidade propomos um estudo técnico com a direção para a ampliação da assistência cirúrgica do ICEA e SAAP. Apoiamos com entusiasmo o projeto da diretoria de transformar a Balbina em maternidade escola”, finalizou o presidente do Simeam.

Texto: Alan Charles Chaves


Deixe seu comentário