ÁREA DO ASSOCIADO

Faça seu login para ter acesso completo a sua conta.

Dúvidas: (92) 3651.7798 | 3308.9313 . contato@simeam.org

Notícias

GOVERNO DO AM DIZ NÃO TER DINHEIRO PARA PAGAR MÉDICOS ESPECIALISTAS

Sexta-Feira, 12 de julho de 2019

O secretário de estado da fazenda (Sefaz), Alex Del Giglio afirmou que o Governo do Amazonas não dispõe de dinheiro suficiente para efetuar o pagamento dos médicos das empresas de especialidades que prestam serviços na área da saúde nas principais unidades de Manaus.

A informação foi divulgada durante a reunião realizada no final da tarde desta quinta-feira (11/7), com a presença do secretário de estado de saúde (Susam), Rodrigo Tobias, e com a participação de mais de 15 profissionais médicos, diretores e representantes das instituições de especialidades que prestam serviços ao Estado.

A reunião que já estava agendada teve remarcação e alteração de horários, tinha como objetivo a elaboração de um calendário com data fixa para os pagamentos do ano corrente que já acumulam três meses de atraso, além de acordo para o pagamento das competências referentes ao segundo semestre de 2018, conforme acertado com o então titular da Susam, vice-governador Carlos Almeida Filho.

Além do anúncio da falta de recursos para efetuar os pagamentos, os representantes do Executivo Estadual informaram que estarão indo a Brasília (DF), em busca de apoio do governo federal e reconhecem que o Estado está a beira de uma calamidade pública.

Fomos abordados com a seguinte expressão: é com muita tristeza que informamos que o Estado está no vermelho, sem recursos para os profissionais das empresas de especialidades médicas. Isso é uma vergonha! Como uma gestão se presta a esse papel?! Em seis meses o governo fez gastos milionários com outras despesas e deixa de priorizar a saúde da população, os profissionais que estão na ponta realizando um serviço essencial”, desabafou o médico cirurgião geral, Dr. José Francisco, presidente do Instituto de Cirurgia do Estado do Amazonas (ICEA).

De acordo com a categoria, cerca de dois mil médicos que atendem na urgência e emergência das unidades de saúde de Manaus estão sendo prejudicados com o constante atraso dos pagamentos, mais a falta dos pagamentos dos anos anteriores. Sem reservas, os profissionais estão com as despesas pessoais em risco (colégio dos filhos, água, luz, banco, cartão de crédito, etc).

Para o presidente licenciado do Sindicado dos Médicos do Amazonas (Simeam), Dr. Mario Vianna, é muito fácil para a gestão anunciar que os médicos fique sem nenhuma perspectiva de receber os salários, já que eles estão com os salários em dia.

Enquanto isso o governo faz cotação milionária com buffet para o palácio, paga débitos de exercícios anteriores a determinadas empresas com valores astronômicos. É muito estranho! E na hora de pagar a própria conta, não tem dinheiro”, analisa Mario Vianna.

Diante da falta de estrutura adequada para a realização do atendimento à população, somado a falta de material, a categoria vai elaborar um documento e protocolar no Ministério Público do Estado do Amazonas (MPE-AM) e outros órgãos informando que os serviços continuarão sendo prestados, porém, diante de possíveis óbitos, o Estado será responsabilizado.

Nos dias 23 e 24 estaremos em Brasília onde vamos participar de um Fórum no Conselho Federal de Medicina (CFM). O ministro Mandetta vai realizar uma palestra no dia 23, e no dia 24 vamos ter uma audiência exclusiva com ele para expôr o caos da saúde no Amazonas”, informou Vianna.

Texto: Alan Charles Chaves.

Deixe seu comentário