ÁREA DO ASSOCIADO

Faça seu login para ter acesso completo a sua conta.

Dúvidas: (92) 3651.7798 | 3308.9313 . contato@simeam.org

Notícias

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DAS LIGAS ACADÊMICAS DE MEDICINA BUSCA APOIO DO SIMEAM

Segunda-Feira, 06 de maio de 2019

Com o objetivo de aproximar os futuros médicos aos profissionais da categoria que atuam no Amazonas, o vice-presidente da Associação Brasileira das Ligas Acadêmicas (ABLAM), Nelson Dabus reuniu com o presidente do Sindicato dos Médicos do Estado (Simeam), Dr. Mario Vianna.

Acadêmico de medicina de São Paulo (SP), essa foi a primeira vez do vice-presidente da ABLAM no Amazonas e na Região Norte. Nelson conta que a aproximação ao Simeam é um passo importante para que os futuros médicos possam se estruturar em defesa da medicina digna.

“Não apenas no exercer futuro da profissão como também pela luta e reivindicação de condições mínimas e adequadas para a atual formação médica”, disse o acadêmico, avaliando as condições das escolas médicas do país. “O cenário de ensino médico das faculdades de medicina do Brasil é insalubre em sua grande maioria”, avalia Nelson Dabus.

Para o presidente do Simeam, Dr. Mario Vianna a ABLAM é uma entidade estudantil importante para a atuação da área médica, tanto do ponto de vista técnico, quanto político e a atuação do acadêmico Nelson Dabus reforça esse papel.

“O vice-presidente da ABLAM é bastante engajando no movimento médico estudantil, com participação em eventos do Conselho Federal de Medicina, da AMB, e outras instituições. Ele acompanha as atividades do Simeam e vê no sindicato a força da representatividade muito importante para o segmento”, compartilhou Mario Vianna, informando que o apoio à ABLAM vai se dar na articulação e aproximação do representante às lideranças do segmento no Amazonas.

Nesse sentido uma das primeiras ações efetivas do Simeam de apoio a Associação Brasileira das Ligas Acadêmicas foi a articulação com o chefe do Serviço de Saúde da Marinha do Brasil no Amazonas, capitão de fragata e médico Marsico, para um possível embarque de um grupo de acadêmicos filiados a ABLAM em um navio hospital para que os futuros médicos tenham uma experiência com a realidade da saúde pública na região Amazônica.

 

Deixe seu comentário