ÁREA DO ASSOCIADO

Faça seu login para ter acesso completo a sua conta.

Dúvidas: (92) 3651.7798 | 3308.9313 . contato@simeam.org

Notícias

PRESIDENTE DO SIMEAM CONVERSA COM GOVERNADOR DO AMAZONAS DURANTE VISITA A MATERNIDADE

Terça-Feira, 05 de março de 2019

O governador do Amazonas, Wilson Lima, acompanhado pelo vice-governador e secretário de saúde, Carlos Almeida, realizaram na Maternidade Balbina Mestrinho, visita para acompanhar o funcionamento da unidade durante o feriado de Carnaval. A fiscalização realizada na manhã desta terça-feira (5) contou com a presença do presidente do Simeam, doutor Mario Vianna, que na ocasião, estava de plantão na maternidade e acompanhou a comitiva.
 
Durante a visita técnica a direção da maternidade e assessores fizeram explanação sobre vários temas relacionados ao funcionamento e estrutura organizacional da unidade que faz cerca de 450 partos mensais, dentre outros assuntos relacionais a saúde do Amazonas. 
 
Após um relato sobre o programa Rede Cegonha do Ministério da Saúde que existe em todos os estados com o objetivo de localizar mulheres com gestação de alto risco para que sejam referenciadas em unidades com estrutura para acompanhá-las de forma preventiva a evitar morte materna e morte neonatal, o presidente do Simeam compartilhou que de acordo com a Secretaria de Gestão do Trabalho, Educação e Saúde, do Ministério da Saúde, com quem esteve reunido em Brasília (DF), não existe nenhum dado consolidado na pasta da saúde sobre o programa Rede Cegonha no Amazonas, principalmente no interior onde há muitas pacientes com gestação de alto risco ou de potencial alto risco, que deveriam ser localizadas e enviadas para a capital já que o interior do estado não existe nenhum centro de referência para o atendimento de gestação de alto risco. 
 
Semelhante a esses casos, no interior não há também, nenhum centro de referência para atendimento de urgência e emergência e outras especialidades, afim de amenizar casos graves antes de serem encaminhados para a capital. Cada município, de acordo com a densidade geográfica e populacional, deveria ter pelo menos, as cinco especialidades necessárias para o atendimento médico numa unidade de saúde, são elas, clínica médica, pediatria, cirurgião, anestesista e ginecologia obstetrícia. “Diante desse cenário, podemos perceber o quanto se faz necessário a aprovação da Carreira Médica de Estado, sendo possível levar atendimento de qualidade aos municípios que apresentam índices expressivos de acidentes de transito, domestico, trabalhista, dentre outros”, observou o presidente do Sindicato dos Médicos do Amazonas.        
De acordo com o presidente do Simeam, o resultado reflete na capital que acaba recebendo essa demanda, tanto a Balbina Mestrinha como todas as unidades, pacientes em quadro gravíssimo de gestação complicada e muitas vezes em caráter irreversível. “De forma injusta, muitas vezes as equipes medicas recebem a conta dessa situação, aonde ocorre, ou a morte materna, neonato ou de ambos”, compartilhou o doutor Mario Vianna com a comitiva, em momento oportuno, com a experiência de quem vivencia essa situação quase que diariamente.
 
No decorrer da visita a unidade, o governador e o vice estiveram nas instalações do Centro de Parto Normal Intra-hospitalar que está com 90% das obras concluídas. O setor conta com quatro leitos, sendo dois equipados com banheiras para o parto na água. O presidente do Simeam espera que após a inauguração do centro, a Lei de Parto Humanizado passe a ter sentido. 
 
Com a visita foi possível identificar a falta de equipamentos e recursos necessários na UTI Neonatal, além de ouvir relatos dos profissionais médicos que lutam pela vida. “Pude apresentar ao governador e ao vice, o caso de uma paciente na UTI Materna que está internada há três meses, ela perdeu parte do abdômen, tive que colocar uma tela improvisada para fechar a barriga dela. Seguimos lutando para que ela venha receber alta”, destacou o presidente do Simeam, apontando que as condições do atendimento estão relacionadas as dificuldades enfrentadas pelos profissionais médicos do estado.
Outro caso apresentado pelo doutor Mario Vianna foi o de uma gestante com possível infecção respiratória por H1N1 que levou a perda de consciência e queda de uma escada “Não fosse o pronto e eficaz atendimento de toda a equipe de saúde do PS João Lúcio que inclui as Empresas de Especialidades Médicas a vida da gestante e seu recém-nascido teria se perdido”, destacou Vianna. Mãe e a criança se encontram sob os cuidados intensivos da Maternidade Balbina Mestrinho que está oferecendo todo suporte para garantir as vidas.
 
Para o doutor Mario Vianna, com a visita do governador e do vice a unidade, foi possível mostrar que a realidade do atendimento médico das equipes de saúde do Amazonas é muito boa. “Os problemas estão relacionados sim, com as condições que são oferecidas no ambiente de trabalho. Com isso, muitas conclusões sobre o atendimento na saúde, principalmente o atendimento médico, são conclusões precipitadas que incriminam as equipes de saúde de forma injusta”, disse.

Deixe seu comentário